quarta-feira, 26 de junho de 2013

Sobre o comentário anónimo

Este foi o comentário anónimo:

Pois é! Fotos lindas, dias felizes,locais paradisíacos e muito mais com certeza! Tão diferente esta realidade daquela com a qual eu me confronto todos os dias: desespero, falta de trabalho e de dinheiro para alimentar aquele que são mais vulneráveis: criançae idosos a quem falta o mínimo para uma vida com alguma dignidade!!!!Choca-me e sou incapaz de passar ao lado destas situações tão penosas.Grande parte do que me sobra, que é pouco vai para os outros! emCruzeiro pelo Adriático, de 7 a 14 de junho, 2013

Sobre o comentário deixado no meu post do cruzeiro… que eu publico para quem quiser ler.
Acredito que o anónimo que escreveu este comentário estaria imbuído de vários sentimentos negativos como tristeza, revolta, desespero,  raiva… inveja… mas eu não tenho culpa!
Este meu blogue serve para mostrar outras coisas que faço, além dos trabalhos manuais, que mostro no outro blogue. Ao publicar notas sobre os meus passeios, não desejo fazer inveja a ninguém, mas tão só compartilhar os meus bons momentos, uma vez que os menos bons não interessariam a ninguém.
Tenho 66 anos e o rosto que aqui se vê não mostra o que está dentro! Ainda faço as lides domésticas, só tenho ajuda durante  4h de 15 em 15 dias. Cozinho, passo a ferro, limpo o pó, aspiro, faço tricô, croché, costuro, bordo, toco piano, ouço música, leio, descanso e … viajo!
Tenho 3 filhos, mais 3 por afinidade… e 7 netos. Todos os filhos construíram o seu agregado familiar… somos 15, agora somos só 2 em casa: eu e o meu marido. 
Várias vezes no ano é Natal: isto é, entregamos pres€ntes... porque é necessário.
Trabalhei muito dos 22 anos de idade até aos 59, descontei tudo o que tinha de descontar, aposentei-me, após doença oncológica (mas não por invalidez!) e fui penalizada em 4,5% porque assim ditava a lei.
Nunca gastei mais do que o que tinha. Não sou excêntrica e não tenho piscina: vivo num apartamento antigo de renda, com uma bela vista sobre a bonita cidade de Coimbra.
Não devo nada a ninguém, nunca pedi empréstimos bancários, nunca tirei nada a ninguém.
Pago todos os meus impostos e taxas, considero-me uma boa cidadã, sou solidária para com os mais necessitados… o Estado é que tem obrigação de zelar pelos cidadãos mais vulneráveis.
Em que é que o dinheiro que gasto em viagens ajudaria numa situação tão grave em que o país se encontra?
Passeio pelo nosso país, que conheço de lés a lés, compro o que é nosso!…
Que diabo!!!

Gosto do mar, nasci numa ilha, por que raio não posso fazer cruzeiros e ser feliz?

11 comentários:

  1. Não dês importância, pois se a tivesse assumia-se, não se escondendo atrás do anonimato!

    Se formos a ver sempre viveu à custa dos nossos descontos e agora teme que a fonte seque!!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Boa noite amiga, não se importe com essas palavras amiga, voce merece passear, você tem esse direito depois de trsbalhar tanto na vida e o que você disse é bem verdade amiga, beijos e fique na proteção de Deus !
    Inez Garcez
    http://crocheetricoparaospequeninos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Bom dia, Teresinha!
    A minha situação é idêntica à sua. Se sempre cumpri e nunca faltei aos meus deveres, nunca pedi nada e quando me reformei, que foi por antecipação, fiquei sem práticamente metade da pensão, mas foi uma opção minha.
    Bem governado graças a Deus vai chegando, embora tenha dois filhos desempregados em casa.
    Mesmo assim consigo ajudar ainda algumas pessoas, naquilo que posso. Não vale a pena ligar a esse tipo de comentários. Quem não gosta não é obrigado a ver os blogues, não é mesmo?
    Beijinhos
    Milai

    ResponderEliminar
  4. Olá Teresinha,
    Não se preocupe com comentários como aquele que foi publicado.
    Tenho 48 anos continuo a trabalhar(comecei aos 17 anos, portanto Já trabalho à 31 anos) e posso dizer que neste momento vivo razoavelmente. Não nasci num berço de ouro, mas ao longo da minha vida tenho feito uma coisa que muita gente não sabe fazer: poupar e viver de acordo com os nossos ordenados, tentando não fazer empréstimos em cima de empréstimos.
    Quando me casei, fiquei a viver com os meus pais durante 5 anos. Durante todo esse tempo nós poupámos tudo o que nos era possivel (durante todo esse tempo nunca soube o que era ir de férias para a praia, ou até ter uma casa só minha onde eu e o meu marido pudessemos usufruir de uma vida a dois com privacidade). Podia pagar uma renda, mas optámos por viver com os meus pais para depois com as nossas economias investirmos num cantinho que fosse só nosso e que não fosse necessário pedir emprestimos.
    Conseguimos isso, mas posso dizer que quando fui viver para a minha casa, não tinhamos o parquet dos quartos colocados e não tinha por exemplo móveis de cozinha, nem sofás e nem televisor porque não tinha dinheiro...mas também não devia nada a ninguém!
    Ao longo destes trinta e dois anos de casados continuámos sempre a poupar e posso dizer que tenho viajado alguma coisa mas sempre a pensar no dia de amanhã...
    Também sempre trabalhei e só à cerca de 6 anos é que tenho uma pessoa que vem uma vez por semana fazer a limpeza da casa, porque até aí era EU que fazia tudo aos fins de semana.
    Sei que mesmo fazendo sacrificios existem pessoas que nunca conseguiram o que eu e o meu marido conseguimos, mas também sei que existe muito boa gente por aí que viveram sempre acima das possibilidades! E mais não digo!
    Teresinha, continue a viajar com o seu marido, porque já trabalhou, já ajudou os seus filhos e está na hora de usufruir de uma vida de trabalho!
    Beijinho grande!

    ResponderEliminar
  5. Querida Teresinha, quem fala sob anonimato não consegue, sequer, assumir o que diz. Para além disso, a opinião que os outros têm de nós, não passa disso mesmo. Que seria de qualquer um de nós se fosse, numa só pessoa, tudo quanto os outros pensam? Uma vida inteira não daria para sermos um pouco do que cada um pensa a nosso respeito.

    Continua sendo a pessoa maravilhosa que és e a partilhar connosco tantos momentos bonitos. Essa é uma linda mensagem de vida, até para os que ainda preferem olhar para o lado, em vez de se observarem a si mesmos.

    Beijinhos!


    ResponderEliminar
  6. Olá Teresinha!
    Quero manifestar a minha solidariedade e dizer que não é sério quem se escuda atrás do anonimato.
    Não te amofines. Nada te pesa na consciência. Vive feliz com a família e faz o que te der na real gana. Aproveita a viajar enquanto a saúde o permite. Eu tenho pena de estar a ficar um pouco limitada e há lugares que sei que não mais terei possibilidades de conhecer...a idade e as doenças...enfim!
    Uma abraço amigo.
    M. Emília

    ResponderEliminar
  7. Querida Teresinha...
    Não sinta culpa de nada,afinal não é voce que vai salvar o mundo!

    Beijos com carinho da Quinha

    ResponderEliminar
  8. Querida Amiga.
    Eu entrei como sua seguidora hoje já revoltada com tanta maldade
    de pessoas sem o menor caráter , e falta de respeito.
    A verdade , que pessoas , que fazem isso além da inveja
    tem pobreza de espirito.
    Eu sofri e ainda sofro com as maldades que fazem comigo
    imagina eu com 63 anos tem uma blogueira ,
    que manda é email me distratando você me deu uma excelente ideia
    vou acabar postando os email no blog.
    Amada você merece tudo de bom nessa vida não se preocupe com mesquinharias ,
    pois você é superior a tudo isso.
    Desejo a vc um abençoado final de semana beijos ,Evanir

    ResponderEliminar
  9. Teresinha, só agora li este triste, este pobre comentário.
    És uma pessoa inteira, segura de ti, que não precisas do meu apoio. Ainda assim dou-to!
    Era o que faltava que tivesses de te justificar porque tens dinheiro!
    Era só o que faltava.
    Quem escreveu esse comentário é uma pessoa infeliz e invejosa, sendo que a inveja é o sofrimento de quem não quer que tu sejas feliz!
    Santa paciência!
    Ao menos, deveria ter a coragem de assumir o que diz!
    Teresinha, desejo-te muitos passeios, muitos cruzeiros, muitos momentos felizes que pagas com o teu dinheiro contribuindo para o salário mensal de muita gente.
    Viaja, querida!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Olá Teresinha,
    Muito obrigado.
    En español, se dice " A palabras necias, oídos sordos ". ¿ Cómo se dice en portugués ?. Su blog me gusta mucho y me encanta su forma de contar la vida de todos los días y los días extraordinarios como los de este crucero.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  11. Tereziiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha
    Pra quê dá bola pra gente que nem tem coragem de mostrar a CARA?
    ANÔNIMO?
    Amo seu blog como tantas outras pessoas quem não gosta não lê e pronto.
    Já vi seu outro blog todinho e estou viajando neste aqui e ADORANDO
    Muitas beijocas.

    http://meucantin5.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar